6 de set de 2011

Entrelinhas...




Talvez um dia...


Você descubra que tudo o que mais precisava era de um abraço, em vez de uma palavra,


Que tudo o que mais desejava era um olhar terno, o calor de um colo, mas preferiu o silêncio do adeus.


Talvez, um dia eu descubra finalmente o quanto eu estava errado, mas esse momento não é agora.


Talvez você ainda se lembre de como era fácil me fazer sorrir, e que pra isso era necessário apenas saber que você estava ali.


Talvez eu mude de cidade, de país, de planeta, mas o que realmente iria mudar? Pois meus sonhos vão me acompanhar onde quer que eu esteja...


Talvez você queira de vez em quando, no silencio da noite, chamar meu nome em pensamento, mas temo que ele já não possa mais me alcançar.


Talvez um dia eu finalmente aprenda, que querer mudar um pensamento não é a mesma coisa que mudar o mundo, que cada um tem suas próprias regras e que todos vivem quebrando-as todo o tempo.


Talvez você ainda me tenha  em seus segredos, guarde meu nome em algum rabisco, talvez se lembre de um gosto, de um cheiro, de uma melodia, mas talvez...NÃO.


Talvez eu perceba o quanto fui feliz enquanto pude, mas que esperei demais nesse período, e não consegui enxergar a tempo.


Talvez esse tenha sido o maior dos meus problemas...O TEMPO.


Talvez um dia eu aceite, que por mais que eu quisesse, eu jamais poderia fazer parar o tempo, e o máximo que eu posso agora, é pará-lo aqui, na minha mente, e no meu coração, guardando tudo num lugar seguro, onde ninguém, nem mesmo eu, seja capaz de tirar.


Talvez, entre um dia e outro, eu possa caminhar sem sentir o peso das minhas pernas cansadas, 
por ter caminhado tanto tempo ao teu encontro, e agora, não tenho mais pra onde ir.


Talvez um dia você entenda seus motivos, e faça deles aprendizado, para que ninguém mais tenha que aprender com eles, de forma tão dura.


Tentei seguir as regras, tentei ser eu mesmo, tentei ser vários...Não vejo mais a estrada, então, se existe alguém que ainda, por motivo ou por outro, me segue, não o faça, pois não sei mais pra onde vou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui uma idéia, que seja apenas uma palavra, uma crítica, uma expressão que venha do sentimento que essa leitura lhe trouxe à tona, vamos compartilhar juntos nossos devaneios...