30 de jun de 2009

Fé...ela está entre nós!


Boa noite meus caros leitores,

Hoje vou falar sobre Fé, e isso é muito complicado, pois é dificil falar disso sem entrar em questões dogmáticas, mas vou tentar.

Em primeiro lugar, vamos à definição didática da expressão: Fé (do grego: pistia e do latim: Fides ) é a firme convicção de que algo seja verdade, sem nenhuma prova de que este algo seja verdade, pela absoluta confiança que depositamos neste algo ou alguém.

Olhando por esse prisma, parece até fácil ter um conceito sobre o assunto, mas na verdade, poucas coisas são mais complexas e ao mesmo tempo, tem mais importância na vida que a Fé. Não diria que a fé é um sentimento, pra mim, ela é parte da nossa constituição, como seres pensantes, todo mundo tem fé, até mesmo um Ateu tem fé, pois se ele acredita piamente que não crê em nada que seja subjetivo, logo pressupõe-se que...sua fé está lá.

Não comungo da idéia de que a crença é um conceito que seja unica e exclusivamente religioso, pois a fé está ao lado do ser humano desde os primórdios da civilização, quando o próprio homem começou a se questionar, quando viu a necessidade de entender os princípios da vida e os mistérios da morte.

A fé está no nosso dia a dia, quando desejamos pra nós, que nosso dia seja proveitoso, que consigamos fechar aquele tão esperado negócio, de que nossos filhos se deem bem na escola, que consigamos pagar todas as nossas contas, de que nosso amor volte, de que o casamento de nossos pais continue sendo perfeito, quando agradecemos a Deus, Buda, Alá, Maomé ou Rá , ou que simplesmente tenhamos uma boa noite de sono.

Por muitas vezes em nossas vidas, acreditamos que somente conseguiremos atingir determinadas metas se tivermos uma convicta Fé de que aquilo aconteça, mas digo que a fé somente por ela não é suficiente, imagine um médico realizando um procedimento cirúrgico da mais alta complexidade, ele não pode simplesmente juntar suas mãos em virtude da sua crença e deixar que as coisas simplesmente aconteçam, vejam, não estou discordando em nenhuma instância de que a Fé não pode ser suficiente pra que uma pessoa se cure, absolutamente, o que quero dizer, é que existem níveis diferentes pra nos basearmos apenas no que a fé propõe, e na própria Bíblia Sagrada encontramos uma definição disso: "...Deus não se justifica pela Fé, visto que sua Fé é morta a não se produzir os frutos desejados... (Lucas 8:8).


A Fé pode sim, produzir milagres, concretizar sonhos, trazer nossos objetivos a nós, mas temos que estar atentos aos nossos próprios atos, pois eles sempre devem estar em conformidade com nossos anseios, e uma coisa que pode colocar nossa fé à prova a ponto de praticamente extinguí-la é o medo, pois com ele sempre vem à tona as duvidas, inseguranças e desestímulo, portanto, podemos dizer que de certa maneira, o medo é uma antítese da Fé.

Onde existe vontade, convicção e determinação, lá estará nossa fé, no mundo mas principalmente, em nós mesmos, precisamos acreditar em algo, precisamos estimular nossas crenças, procuramos respostas pra tudo na vida, mas não precisamos de respostas pra todas as coisas, se você acredita em algo, sua resposta está em sua própria Fé, nas suas motivações, nos seus desejos, no que te faz acreditar.

Em certo momento da minha vida, eu cheguei a pensar que minha fé havia me abandonado, ora, isso seria impossível, pois a Fé não é algo que chega, não é de fora pra dentro, mas o oposto, então a verdade é que EU estava abandonando a minha.

Esses últimos dias tem sido intensos, com muitas surpresas, algumas boas e outras nem tanto, e nunca minha Fé foi posta à prova com tanta intensidade, mas em contrapartida, ela também nunca esteve tão forte, e a cada instante, ela me dá mais e mais convicção de que posso me valer desse aspecto tão maravilhoso da vida, que é minha propria Fé, para que eu não sucumba frente às adversidades.

O desejo de acreditar que as coisas vão melhorar, que as pessoas podem se tornar melhores, e até de que o MUNDO possa se tornar um lugar melhor, de que a felicidade (seja em qualquer instância) realmente é possivel, esse é o grande desígnio da nossa Fé.

Existem vários tipos de amor, o amor maternal, o fraternal, o amor conjugal, e até o quase inalcançável Amor Incondicional, mas na minha humilde opinião, e agora sim, na minha opinião religiosa, a Fé é a manifestação mais próxima do Amor de Deus em nossas vidas!


Não importa como, quando, onde ou porque...TENHAM FÉ!!!!


NAMASTË


WΔ££™