29 de nov de 2009

Quase uma lembrança...


E lá se vai mais um mês longe de casa, e a cada mês que passa, me vejo mais e mais distante da minha antiga vida, não que isso seja ruim, pra mim pelo menos, que sempre me adaptei a situações novas, a novos desafios, mas tem hora que as lembranças vêm à tona, da minha antiga casa, do meu antigo quarto, do aconchego de casa de mãe.

É engraçado, já nem me refiro mais à minha antiga casa como "minha", já não consigo mais pensar que um dia lá foi meu lar, hoje, minha referencia de lar é aqui, onde vivo em uma nova casa, com um novo quarto, com uma nova familia, os horizontes, as perspectivas e objetivos mudaram, na verdade tudo mudou, meus hábitos alimentares, a hora de dormir, de acordar, meu tempo bem mais curto devido ao trabalho que me exige muito.

Mas hoje, não sei porque cargas d`água, me peguei pensando muito na minha antiga vida, nos meus antigos hábitos, e no meu antigo tempo, me lembrei do sabor da comida da minha mãe, das intempéries loucas do meu irmão, das minhas longas e solitárias noites frente ao computador (ainda bem que eu tinha o blog pra me fazer companhia), mas em vez de sentir falta disso tudo, eu simplesmente vi isso de um ponto de vista diferente, começei a pensar que a vida realmente é um processo de constante evolução, e exige que a gente se adapte a essas mudanças.

E isso faz parte do amadurecimento, aliás, amadurecer pra mim nada mais é do que uma adaptação, uma adequação à novas necessidades e novos conceitos, melhores e mais conscientes,
mas nada disso nos impede de lembrar, e eu gosto de me lembrar, gosto de ver que muitas coisas que fizeram parte do que fui, do que vivi, me tornaram quem eu sou hoje, mais seguro, mais certo do que eu quero e do que eu não quero pra minha vida, e agradeço muito a Deus, por ter me dado força e sabedoria pra chegar até aqui.

Guardo com carinho, todas as coisas boas da minha antiga vida, dias alegres, almoços em familia, passeios no shopping, cinema, a loucura do centro de BH, a faculdade, os amigos, os colegas, enfim, tudo aquilo que me fazia aguentar a pressão do dia a dia, agradeço por cada um desses bons momentos.

Mas isso agora são lembranças, de um tempo bom, que se tornou distante, para dar lugar a um ainda melhor, aquele Wallace de 29 de Novembro de 2008 não existe mais, aquele garoto meio moleque, que se recusava a crescer e entender as coisas como elas são, se tranformou em um Wallace completamente diferente, agora ele é um homem que ainda guarda seu lado criança na verdade, mas que olha no espelho e vê que o tempo corre, e que ele precisa seguir o ritmo.

Guardo na lembrança minha antiga vida , e me lembrarei dela sempre que for necessário, não sei, talvez esteja apenas porque o fim de ano está chegando, e essas datas mexem comigo, sei lá, ou eu sou mesmo um sentimental incorrigível.

Fato é que estou feliz, com minha nova vida, com meus novos hábitos, com minha nova cidade, meu novo lar, e isso me dá força e convicção ainda maiores pra seguir adiante nessa minha estrada, pois sei que ela guarda maravilhosas surpresas, alegrias, obstáculos, provações.

Me lembrei muito da minha antiga vida, mas é tudo o que foi, hoje, ela nada mais é do que quase uma lembrança...

Toca o Barco

NAMASTË

28 de nov de 2009

O Monstro de Olhos Verdes

Hoje deu vontade de pegar pesado...

Boa Noite a todos,

Há muito tempo que tenho vontade de escrever aqui sobre um tema bem polêmico, que com certeza divide muitas opiniões, e que é tão antigo quanto a própria humanidade, o "BOM" e velho...CIÚME!

Li um texto muito interessante da Psicóloca Ayala Pines, que deu uma definição bem intrínseca sobre o que é o cerne do ciúme:

"É a reação complexa a uma ameaça perceptível a uma relação valiosa ou à sua qualidade."

A palavra “ciúme”, segundo fontes literárias, tem suas origens na palavra grega zelumen, ou ainda zelosus, do latim, que têm suas raízes na palavra zelos, que significa fervor, calor, ardor ou intenso desejo. Zelos
vem da mesma raiz grega que deu origem às palavras, do francês e do inglês, respectivamente, jalousie e jealousy.

Mas definições gramáticas a parte, a verdade é que esse sentimento, ainda é objeto de muitos estudos dentro da psicologia, exatamente pelo fato de que as pessoas não podem prever totalmente suas reações frente a ele, talvez por ser uma reação muito mais ligada às circunstâncias do que aos instintos propriamente ditos.

Os ciumes podem variar, ciúme de amigos, de irmãos, ciúmes de coisas materiais, ciúmes dos Pais, todos estes exemplos podem ser vistos de maneira diferente, dependendo da intensidade que é colocada no "objeto" ao qual sentimos ciume.

Ciúme pode ser de alguma maneira positivo?

Pergunta bem difícil de responder, para isso precisamos avaliar nossos princípios mais básicos de sentimentos, se em nossas raízes, cultivamos os nossos sentimentos de maneira sadia, com valores de familia bem definidos, se crescemos em um ambiente onde são bem delineados os nossos papéis de irmãos ou filhos, se não somos inundados por idéias de que somos melhores ou piores, e sim, iguais, podemos ter uma idéia mais suscinta sobre o sentimento de posse, que é exatamente a origem do ciume. Portanto, antes de avaliar se existe algo de positivo no ciúme, precisamos ter claro dentro de nós, qual a real importância que damos aos nossos próprios sentimentos, se por um lado, temos aquela idéia de que ciúme pode ser aquele cuidado com quem gostamos, o "tal" zelo, aquela sensação de que não podemos perder aquilo que nos é querido, damos uma imensa atenção à quem amamos, em alguns casos, o ciume pode ser um escudo de proteção contra qualquer ameaça iminente, e pode, em alguns casos mais específicos, ser aquele "temperinho" que falta no relacionamento, mas, por outro lado, devemos tomar muito cuidado para que isso não nos torne inseguros, diminuídos frente, essa condição de cuidar, de zelar, tem que estar muito clara, pois as coisas complicam aí, quando se perde o controle.

Então, respondendo a pergunta em uma análise inicial, o ciume pode ser positivo se ele for conduzido de maneira consciente e extremamente controlada, pode ser aquela pílula anti-indiferença, e até um certo "termômetro" pra se medir determinados interesses em uma relação, mas como eu disse, isso tem que estar muito claro para as duas, ou mais partes envolvidas na relação.

Mas é claro que existe o lado negro, onde o "MONSTRO DOS OLHOS VERDES" se manifesta de maneira destrutiva, e é exatamente quando a situação foge totalmente do controle, ultrapassa os limites da razão, e até do sentimento, onde o medo da perda fala mais alto e aí não tem jeito, o ciúme pode causar danos irreversíveis, e ele pode ser alimentado de diversas maneiras, quem não conhece a famosa obra de William Shakespeare, Othello? Onde o protagonista sofre por viver no limiar entre o AMOR E ÓDIO por causa do ciúme de sua amada Desdêmona, e tem seu ciúme alimentado pelo invejoso amigo Iago, que não sossegou enquanto não viu o amigo ir às vias de fato com sua amada, por pura vingança pessoal, e temos vários outros exemplos da destruição que o ciume descontrolado causa, até mesmo nos chamados "crimes passionais" cada vez mais comuns hoje em dia, infelizmente.

Agora uma outra pergunta, existe uma maneira de se evitar o ciume, ou ainda melhor, será que dá pra simplesmente NÃO sentí-lo?

Isso é complicado, se focarmos nossas mentes na nossa TOTAL e incondicional segurança em nós mesmos, o que eu acredito que seja extremamente difícil, talvez seja possível que possamos aprender a viver sem ele, eu particularmente, acredito que sim, apesar de não ser uma pessoa completamente desprovida disso, digo, do ciume, tenho sim meus momentos de crise, mas tenho melhorado muito, posso dizer que não há formula mágica, apenas uma força de vontade de não deixar que isso se manifeste de maneira negativa, acredito na atenção, no cuidado, no zelo, assim como acredito que TUDO em desequilíbrio pode ser prejudicial.

Talvez o ciume seja meio inevitável, meio circunstancial, meio positivo e meio negativo, mas uma coisa é certa, não se pode dizer que é algo agradável de se sentir, seja sob qualquer esfera, por isso creio que não é algo que deva ser encorajado ou estimulado, pois pode se tornar NITROGLICERINA PURA!

O minha sugestão, e de maneira bem particular, é que tenhamos muita clareza ao vivenciar tal sensação, de preferencia, trocar essa experiencia com aqueles que amamos, nos despir de nossos orgulhos e dizer exatamente o que sente e como sente, pois isso pode se tornar um peso enorme caso não seja compartilhado, e se acontecer da coisa sair do nosso controle, devemos dizer, em alto e bom tom: "Olha, eu sinto ciumes sim, preciso da sua ajuda, preciso que me mostre que posso confiar, em mim, e em você!" Esse é um ótimo começo, adimitir que sente, pois quando fazemos isso, é o primeiro passo para que isso se resolva, ou pelo menos, que se entenda.

A verdade é que todo mundo quer atenção, quer ser amado e compreendido, e esses, pelo menos em tese, devem ser os princípios básicos para as relações interpessoais saudáveis, ainda que permeadas por dúvidas e medos, e o ciume tem muito a ver com chamar a atenção pra nós mesmos, quando se sente isso, é quase como se estivéssemos gritando por dentro: "OLHA PRA MIM, EU ESTOU AQUI TAMBÉM!!!" e isso vem desde a infância, quando sentimos ciúmes da atenção que nossos pais eventualente dão aos nossos irmãos, ou de um amiguinho que tá fazendo o maior sucesso na turma porque ganhou um brinquedo novo por exemplo.

Não existe uma maneira totalmente segura de se medir o grau de intensidade, ou de prever quando iremos ou não sentir esse incômodo sentimento, mas podemos ter certeza de uma coisa, o mundo seria BEM melhor sem ele. Bom, desculpem pelo texto grande, espero que gostem da minha reflexão de hoje, e espero também ter esclarecido de alguma forma algumas questões, apesar de um tema bem complexo, é interessante dissertar sobre algo que é cotidiano, que muitos defendem e que ainda é tabú para tantos outros, mas que definitivamente é tão comum como o próprio AMOR!


Toca o Barco...

12 de nov de 2009

ROUND 2...FIGHT!!!!!!!!!!!!!!


Eis que começa mais um embate de duas das maiores empresas do país, há alguns anos atrás, a empresa de comunicações do falecido Sr. Roberto Irineu Marinho exibiu uma reportagem, sobre alguns pastores e diligentes da maior igreja do País, quiçá do mundo, a Igreja Universal do Reino de Deus, chutando imagens católicas, e se vangloriando entre montantes de dinheiro (dos fiéis???) e o diretor/presidente Edir Macedo, ainda dava orientações aos seus pupilos, de como fazer com que os fiéis se tornassem ainda mais "benevolentes" com suas ofertas, e o DONO da Record ainda fez mais, disse uma frase que se tornou emblemática na ocasião, um sonoro "...OU DÁ, OU DESCE!!!"

Desde então começou uma batalha titânica entre GLOBOxRECORD/IGREJA UNIVERSAL, há pouco mais de dois meses, quem acompanhava os jornais do horário nobre, puderam ver as duas emissoras trocando farpas ao vivo, a Globo acusava o Sr. Edir Macedo de lavagem de dinheiro e enriquecimento ilícito, enquanto a Record acusava o "PLIM PLIM" de uso de influência governamental desde a época da ditadura, entre uma acusação e outra, sempre aparecia um podre de um e um podre de outro, mas foi então que começei a me perguntar, quem realmente ganha ou perde com essa confusão toda?

Bom, é preciso ter um olhar crítico, cético e bem realista pra conseguir enxergar isso, sem ver pela ótica religiosa e principalmente, da ótica de telespectador, eu não sou seguidor da Igreja Universal, mas também não morro de amores pelo Plim Plim, sou favorável à liberdade de imprensa em seu mais amplo grau, mas sou favorável à liberdade de imprensa responsável e consciente, não aos verdadeiros "circos" que se formam para os interesses de grandes corporações, principalmente nesse caso, que o que menos importa é a fé inconteste dos fiéis da Universal, ou os pobres telespectadores que são bombardeados todos os dias pelo maravilhoso "PADRÃO GLOBO DE QUALIDADE", não meus caros, nada disso importa nessa briga, o que importa para os empresários, diretores, pastores, bispos e etc... são as cifras, é o que uma emissora faz pra incomodar a outra, pois o que é curioso, é que sempre que a Record consegue uma vantagem significativa sobre a rival, ela usa o artifício da "notícia" pra tentar abalar as estruturas da rede do Bispo Macedo, seja alguns pontinhos de audiência durante o Fantástico, ou até mesmo nessas verdadeiras "maravilhas" de Realities Shows que somos obrigados a aturar todo ano.

Mas será que precisa mesmo essa balbúrdia toda só pra se ganhar audiência? Porque honestamente, por mais que eu não um fã numero um do SEÑOR ABRAVANEL ou Homem do Baú, como queiram, e acho sinceramente que ele deve ser um homem muito feliz mesmo, porque além de ser o único dono de uma rede de TV que participa ativamente, com seus programas meio caricatos, mas de certa maneira envolventes ao grande publico, ele nem se preocupa muito com audiência, frequencia de programação, controle de qualidade de programação, núcleos faraônicos de novelas, portais de jornalismo cada vez mais modernos pela internet, e ainda assim, sua emissora continua fazendo sucesso, angariando patrocinios e ganhando lá seus pontinhos de audiencia, é o Sr Silvio é um dono de televisão feliz.

Isso é briga de cachorro grande, sem dúvida, não sei quem vai ganhar ou perder, só resta a nós pobres telespectadores mortais, usar a cabeça e o controle remoto.

TOCA O BARCO

5 de nov de 2009

Direitos X Deveres


Boa Noite, caros leitores

Como voces tem notado, faz um tempinho que não posto aqui no blog, é que meu tempo tem sido muito, mas muito dedicado ao meu trabalho, graças a Deus, e longe de mim estar reclamando, mas é que muitas coisas que eu gosto de fazer estão ficando em segundo plano, como o blog, que pra mim é muito mais do que um mero passatempo, sinto falta de escrever todos os dias, de dar uma zapeada nos outros blogs, comentar e responder a todos, mas infelizfelizmente não tá me sobrando muito espaço, mas chega de blá blá blá...tá na hora do que interessa, o post de hoje:


v.t ter por obrigação; ter de (fazer alguma coisa ter dividas seguido de um infinitivo , exprime; 1)necessidade ou inevitabilidade : tudo deve acabar. 2) intenção: devo viajar muito breve; 3) suposição: ele deve estar muito rico; 4) probabilidade: deve chegar logo mais; 5) obrigação moral: ele devia dar mais assistência á familia.Dever os olhos da cara ter muitas dividas.

Partindo desse princípio, podemos dizer que essas duas palavras apesar de andarem sempre juntas, têm sentidos e conotações bem diferentes, no meu ponto de vista, direitos e deveres são conceitos,conceitos estes que nem sempre têm sua importância devida implicita em nossas atitudes.


Ter direitos implica diretamente em responsabilidade, comprometimento, já os deveres nos ditam de maneira um pouco mais direta, que alem de sermos responsáveis por determinados atos ou circunstancias, temos também que nos valer do bom-censo e da consciência do que é certo e o que é errado, num sentido mais prático.

Mas porque estou falando disso hoje, porque na semana passada vivenciei um episódio que me colocou em cheque esses dois "conceitos", fui convocado para ser testemunha numa causa trabalhista de um ex-colega de trabalho, contra uma grande empresa, causa esta que já está em 3ª instância, e praticamente ganha pelo meu ex-colega, tudo iria perfeitamente bem, não fosse pelo fato de que ele chegou ao seu emprego atual dois dias depois da audiência, e logo pela manhã, foi demitido, sob a acusação de poder prejudicar a empresa, nesse caso, uma outra "lei" que não a trabalhista falou mais alto, a "lei da ação e reação" meu amigo levou uma empresa que trabalhou na justiça, e por consequencia, perdeu seu emprego.

O que me leva a crer, que os conceitos estão um pouco deturpados, temos direito a uma lei trabalhista que nos garante assitencia juridica nesses casos, mas em compensação, temos o DEVER de arcar com as consequencias de tal atitude, uma questão meio confusa não acham?

Isso me fez questionar muito sobre o que é ter direitos e o que é ter deveres, de modo bem prático.

Temos o direito de conduzir nossas vidas da maneira que nos melhor convêm, isso também é conhecido como "Livre-Arbítrio".

Mas temos o DEVER de fazer isso de modo que não prejudique as outras pessoas.

Esse é o grande desafio, conhecer bem nossos limites sem ultrapassar a tênue linha que separa o limite do outro.

Existe uma citação bíblica que diz: "Tudo me é lícito, mas nem tudo me convêm" e essa frase ilustra perfeitamente essa relação DIREITOxDEVER, porque de modo prático, nem tudo o que PODEMOS fazer é exatamente o que DEVEMOS, podemos sair de casa sem rumo, viver uma vida desregrada? Sim, claro que podemos, mas será que isso é benéfico? Não estou dizendo que temos que viver toda a nossa vida preocupado com regras e padrões, mesmo porque, isso é quase impossível. Acredito que possa haver um equilíbrio entre a prudência e a impulsividade, mas tenho que admitir, eu ainda não cheguei lá...rs.

Hoje vivemos em um mundo meio injusto, onde crianças perdem cada vez mais cedo seu direito à infância, e tem DEVERES cada vez mais cedo. Um mundo onde nossos idosos tem muitos deveres e pouquíssimos direitos, onde mulheres que usam vestidos curtos em faculdades viram notícia, em vez de se preocuparem com outras coisas no cerne da educação, por isso fica tão difícil falar de direitos e deveres.

Mas talvez a saída seja a gente realmente começar por nós mesmos, nos policiando e tendo mais conciência de até onde podemos ir e como podemos ir, acreditando mais em nossos deveres e respeitando mais nossos direitos, conchecendo mais os direitos do proximo, e assim, conscientizando as pessoas de seus deveres.


Temos o DEVER de pagarmos todos os nossos impostos em dia, mas nossos DIREITOS aos serviços básicos da sociedade, como educação, segurança e moradia de qualidade, ficam cada vez mais escassos.

Mas o lado bom é que ainda dá tempo pra todo mundo pensar mais nisso até que coloquem mais uma "figura" pra comandar esse país né? Fica aqui meu desabafo...

TOCA O BARCO!

NAMASTË