8 de dez de 2010

O Inicio...do FIM!


"Os erros devidos à bondade das almas são a coisa pior que há." Do livro "Da Guerra" de Von Clausewitz


Todo ser humano um dia se rende aos seus erros , e há aqueles que acreditam piamente que só se erra numa mesma situação uma única vez, e que a segunda vez não vai acontecer, porque se sabe onde errou e está aprendida a lição, eu não acredito nisso, acho que nossas falhas como humanos deveriam servir, como um pilar, um sinal, de que algo está errado e que precisamos mudar.

Fato, isso não ocorre ocasionalmente, nossos erros estão sempre ligados com nossa capacidade de julgamento das situações, e cada um tem seu proprio julgamento, não se pode cobrar de alguém que não erre nunca, não se nasce sabendo e se morre aprendendo, isso me lembra aquela máxima que diz: "Errar é humano, mas insistir no erro é burrice!" Claro, quem é que gosta de insistir em um erro, acredito que 100% das vezes que falhamos, seja por qual motivo for, é na tentativa de acertar, se não fosse assim, não existiria o acerto, mas o que me leva a pensar naquelas mulheres que apanham sem parar dos maridos e não fazem nada pra mudar isso, não o denunciam à polícia nem pedem o divórcio, será realmente que é só porque elas amam? Ou porque por trás daquele "erro" existe uma vontade maior que elas mesmas pra que um dia dê certo, pra que um dia aquele relacionamento acabe em PAZ?



Existe uma solução passiva pra quem erra, que é algo ainda maior do que nós...O PERDÃO. Mas já pararam pra pensar que a responsabilidade de quem perdoa é muito maior do que pra quem está sendo perdoado? Pois às vezes, ao perdoar alguém, estamos tirando dela a capacidade de aprendizado, estamos de certa forma dizendo a elas: "Olha, você errou, mas não tem problema." e se o entendimento do perdoado é esse, pronto! Você acaba de estragar uma pessoa, pois ela será compelida inconscientemente, a cometer o mesmo ou até um pior erro. É como um condenado a cumprir uma pena de 20 anos de prisão, que deveria ser ressocializado mas que ao invés de ganhar um aprendizado dentro da prisão, só conhece lá dentro mais ódio e violência, se tornando assim, uma pessoa ainda pior do que quando entrou. Não estou dizendo que não devemos perdoar as pessoas por seus erros, só estou querendo mostrar que se formos perdoar, que façamos isso de coração e mente abertos, perdoar com um motivo, um propósito.

Estou dizendo isso, porque eu quero ser perdoado, eu preciso ser perdoado, porque eu errei, assumi meu erro, mas não sei se fui perdoado completamente, deixei minha inconsequencia e egoismo tomar as rédeas de minha vida, e hoje sei que não era o certo a se fazer, não fui perdoado completamente, porque EU não me perdoei, eu não aceitei o fato de ter sido tão imaturo, e me cobro isso constantemente, em cada atitude minha, está lá, a sombra do meu erro me freando, eu errei porque eu acreditei, eu confiei e julguei, que seria o certo, mas me redimi, me encontrei com o caminho do qual eu jamais deveria ter me desviado, e temo agora ser tarde, pois tenho medo de confiar, de entregar minha bandeira ao "inimigo" e achar que ele irá me dar um tiro pelas costas.

Não quero mais viver assim, desconfiando das coisas, e não acho que ninguém deva viver assim, pois existem caminhos diferentes, que levam a decisões diferentes e consequentemente, a novos erros, e a novos acertos, mas é dificil aceitar um novo caminho, mais complicado ainda é se desapegar de medos antigos, de comportamentos e hábitos errados, e meus maus hábitos me levaram a cometer tais erros, porque antes eu achava que o mundo se importava com meus erros, que ele parava cada vez que eu falhava, que esperaria tudo se resolver, que ingenuidade a minha, o mundo não pára pra ninguém, nem pra mim, nem prá você, ele continua girando, da mesma maneira de sempre, e não vai mudar mesmo que eu continue errando, portanto, é mais fácil eu pelo menos começar a tentar acertar.

Sei que mudamos, ou que pelo menos devemos aprender com as experiencias da vida, sei que não sou mais a mesma pessoa que eu era antes, eu mudei, as coisas e as circunstâncias mudaram, e pra mim foi importante observar isso porque, eu já desconfiava, mas estava tentando negar de alguma maneira, que algo dentro de mim havia mudado, descobri que eu não tenho mais a mesma vontade de antes, que meus sonhos foram estilhaçados como vidro, que não acredito mais nas pessoas como acreditava antigamente, mas talvez, não acredite tanto em mim também , acho que eu imaginei que eu jamais iria mudar, que eu seria a mesma pessoa sempre, mas eu mudei, não de personalidade, mas de atitude, pode ser que eu não esteja como eu queria estar, mas talvez, eu me sinta mais inseguro, pode ser que esse seja o inicio do fim, o fim de um ciclo, mas para toda fase que se inicia deve haver um fim, e que às vezes, para se alcançar um bem maior, é necessário que hajam alguns sacrifícios.

Me tornei um sobrevivente,meus dias se tornaram um emaranhado de horas, e quando chega a noite, ah...essa sim, piora muito as coisas, e acho que a convivencia comigo mesmo está se tornando cada vez mais difícil, cada vez eu cobro mais de mim, sabendo que não posso dar mais, estou longe de estar feliz, muito longe de mim mesmo, tem horas, que eu nem me reconheço mais no espelho, mas sei que esse reflexo distorcido no espelho, é o reflexo de coisas que eu cavei com minhas proprias mãos, pois antes de decepcionar as pessoas, decepcionei a mim mesmo...E isso tem que acabar, precisa acabar, sinto minha alma pedindo socorro, mas meu coração, distante, já não ouve mais, meu sorriso não está mais em mim, e sinto que a cada minuto, a cada segundo, é inútil tentar algo novo.

TOCA O BARCO

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui uma idéia, que seja apenas uma palavra, uma crítica, uma expressão que venha do sentimento que essa leitura lhe trouxe à tona, vamos compartilhar juntos nossos devaneios...